A verdade sobre a menina Greta Thunberg!

A verdade sobre a menina Greta Thunberg!

O lucrativo negócio por trás da ativista Greta Thunberg: financiamento político e energético. A menina sueca que distribui sua raiva contra a mudança climática é patrocinada por grandes empresas de lobby e energia em seu país, embora ela e sua família tentem negar. A verdade sobre a menina Greta Thunberg!

Greta Thunberg passou a ser “celebridade”, em menos de 12 meses, contra as mudanças climáticas no mundo inteiro. Porém, seu estrondoso sucesso foi catapultado, de acordo com a pesquisa do The Sunday Times, por grandes lobistas e companhias de energia renovável que usariam a pequena jovem de apenas 16 anos como massa de manobra para “facilitar a transição para o corporativismo verde”. Conheça a verdade sobre a menina Greta Thunberg!

O jornal do Reino Unido ligou a menina e sua notoriedade ao magnata Ingmar Rentzhog, presidente de um Think Tank (Laboratório de Idéias e Pesquisas), do qual são membros de políticos social-democratas suecos, a executivos de grandes companhias do setor de energia de seu país.

Greta Thunberg ficou conhecida por sua famosa greve escolar perante o Parlamento da Suécia em agosto de 2018. No dia 20, especificamente, Ingmar Rentzhog enviou uma foto da jovem para sua página no Facebook e naquela mesma tarde o jornal Dagens Nyheter – o com maior circulação no país – publicou sua história. O resto, já sabemos. No entanto, as informações exclusivas do The New York Times garantem que sua história começou meses antes.

Início do ativismo

Em maio de 2018, Thunberg ganhou o segundo prêmio em um concurso de redação ambiental organizado pelo jornal Svenska Dagbladet.

Pouco depois do concurso, Bo Thoren, líder do grupo local Fossil Free Dalsland, entrou em contato os ganhadores e outros jovens ativistas para falar sobre como “envolver e obter ajuda de jovens para aumentar o ritmo da transição para uma sociedade sustentável”, ele estava procurando “novos rostos” para o movimento.

Entre as propostas de Thoren, estava uma greve escolar inspirada nas manifestações dos estudantes sobreviventes do massacre do Parkland Institute na Flórida – que ocorreu em fevereiro daquele ano. “Havia eleições agendadas para setembro, 3 semanas após o início do curso.

Imagine o que aconteceria se as crianças chegassem no primeiro dia e dissessem ‘não voltaremos até as eleições'”, explicou Thoren.

Greta estava convencida da ideia de uma greve e decidiu por seu plano em prática. Thoren sabia disso e foi a Estocolmo em 21 de agosto para se juntar a ela. Mas no dia anterior, Rentzhog encontrou a menina “casualmente” na frente do Parlamento e as notícias começaram a se tornar virais antes da chegada de Thoren.

Embora Rentzhog tenha dito inicialmente que viu Greta “por acaso”, ele finalmente admitiu ao New York Times que uma semana antes teria recebido um e-mail de Thoren informando sobre o protesto.

Da mesma forma, Rentzhog conheceu a família de Greta meses antes do evento, quando ele coincidiu com Malena Ernman, a mãe da ativista, em uma conferência sobre o clima em Estocolmo.

Isso foi assegurado por e-mail ao jornalista do Times, apesar do fato de ele ter alegado anteriormente que a primeira vez que soube da garota foi quando os protestos começaram.

Ademais, devemos acrescentar que a greve de Greta coincidiu com o lançamento do livro de Ernman, Scenes from the Heart, que conta como “trabalhar para salvar o planeta salvou a vida de sua família”.

Rentzhog aproveitou a publicação, a fama de Malena Ernman, cantora de ópera, e o carisma de Greta para espalhar sua mensagem pelas redes sociais e, assim, aparecer para a mídia em todo o planeta.

Portanto, foi assim começou o relacionamento entre a família de Thunberg e Rentzhog, um acordo que os pais da menina tentam esconder a 7 chaves.

Muito poder envolvido

A razão pela qual seus pais sempre negaram que exista uma colaboração com Rentzhog é que, o fundador da plataforma We Don’t Have Time – com a qual ele pretende aproveitar o poder das redes sociais para “responsabilizar líderes e empresas da mudança climática “- é também o presidente da Global Utmaning (mais conhecida como Desafio Global), um grupo de reflexão no qual estão envolvidos líderes de lobby, executivos de empresas de energia e até políticos.

Para a família Thunberg, é fundamental que sua imagem não seja prejudicada pelos interesses de terceiros.

Inconsistências

Muito embora o New York Times sugira que a família de Greta possa não conhecer os interesses das grandes potências que Rentzhog trouxe com ele quando os contatou, ele também mostra inconsistências em sua conta.

Tudo começa com a assinatura da mãe de Greta em um artigo de opinião publicado no Dagens Nyheter, que foi o primeiro a ecoar os protestos de Thunberg perante o Parlamento.

Este mesmo artigo tem outras 8 empresas, entre as quais Kristina Persson e três outros membros do Global Challenge.

Entre outras incongruências da família da menina Greta, está também o pai dela, Svante Thunberg, que afirma que “nunca trabalharam com a plataforma Rentzhog ou o Global Challenge”, apesar de Greta fazer parte do conselho consultivo de sua plataforma.

Embora a família de Thunberg tenha tentado romper com qualquer tipo de lobby, seu novo assessor de imprensa é Daniel Donner, que está trabalhando no lobby de Bruxelas: European Climate Foundation.

Portanto, em que pese termos consciência de que o ser humano deve encontrar um a maneira de se integrar com a natureza, todos os passos dados pela jovem sueca, que mobilizou jovens por todo o planeta à combater as mudanças climáticas, serão questionados e investigados com microscópio.

  • Clique AQUI e conheça o Crowdfunding S.O.S. Amazônia Soberana!
  • Conheça nossa página no Facebook, clique AQUI.

Sessão Solene comemora o Dia Internacional da Amazônia

A verdade sobre a menina Greta Thunberg!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.